Placas Paris, LOndres, NY

Quero sair do Brasil, chegou a hora de imigrar

Primeiro, antes de começar mais um post, acho importante dizer que, como eu sempre brinco: “maluco” foi o melhor predicado ou elogio que ganhei quando decidimos de novo, largar o Brasil e tentar a vida na Europa – na França, mais especificamente – com um bebê que na época tinha 3 meses, ou seja, ninguém apoiou.

Hoje quero bater um papo sobre como foi migrar para outro país, pois diferente de Portugal, a França era algo totalmente novo para nós. Não apenas no idioma, mas também no que diz respeito às leis, costumes e culturalmente falando, tudo mudava. O desafio não era apenas a mudança em si, mas aprender a viver em lugar diferente de tudo que estávamos acostumados, longe das nossas famílias e amigos.

Aí você me pergunta, mas Daniel você não morou um ano em Portugal e já não conhecia Paris?

Sim, é verdade! Nós moramos um ano em Portugal, que é um país culturalmente mais próximo do Brasil: várias tradições portuguesas inspiraram as nossas tradições, as comidas são parecidas, as leis têm suas semelhanças e o próprio idioma é mais próximo do nosso. Claro que Brasil e Portugal são países completamente diferentes, mas ainda assim, conseguem ser muito parecidos, outro fator que influencia é o idioma, só de falar português, mesmo que algumas palavras tenham outros significados lá, nós nos fazemos entender e vice e versa. Ainda em Portugal, podíamos também contar com o apoio da nossa família portuguesa, que nos acolheu muito bem e nos deram todo o suporte que precisávamos.

Sobre Paris, conhecíamos do ponto de vista turístico, não tínhamos nenhum conhecido lá, além da portuguesa que se prontificou a nos ajudar quando decidimos mudar, mas quando chegamos na cidade (história para o próximo post) percebemos que não poderíamos contar muito com ela, já tínhamos tido a experiência ruim do Réveillon – contei essa história nesse post aqui – mas como era a única pessoa que conhecíamos no País, confiamos.

Em 2012 quando decidimos sair de novo do Brasil, o país passava por um boom econômico, lembro até da capa da Forbes que era o Cristo Redentor decolando e todo mundo me falando que eu estava fazendo o caminho inverso, o mundo queria estar no Brasil e eu queria fugir.

Mas como eu sempre digo: depois de ter provado o açúcar, que foi morar em Portugal que era uma tranquilidade, uma paz, você não vai querer comer salgado de novo, já tínhamos “comido salgado” a vida inteira morando no Brasil, não tinha como viver de novo no Rio de Janeiro, sem tranquilidade e com as neuroses todas de uma cidade grande, infelizmente, então eu brinco que mesmo os amigos que falavam “vai dar tudo certo”, logo eles emendavam com um: eu não faria ou vou torcer por você, mas não apoio.

Hoje 5 anos depois, escuto que fui um visionário, que fiz o caminho certo, que fiz o que todo mundo quer fazer.

Então aconselho, sempre falo sobre isso com a Dany e agora quero falar para você que está acompanhando nossa jornada, se você está no Brasil e tem a possibilidade de migrar para outro país – por nacionalidade ou por visto de trabalho – seja Europa ou qualquer outro continente desenvolvido ou país desenvolvido, você está no Brasil correndo risco e se expondo sem necessidade.

E é obvio que tinha consciência que estaria dando um passo atrás (ou dois ou três) na nossa vida, mas pensávamos que estávamos fazendo isso para daqui há 5 anos – como estamos hoje 5 anos depois – ter dado muitos passos para frente, seja em termos de segurança, seja em termos de saúde, educação para os nossos filhos e para nós.

Agora cá entre nós, se em 2012 me dissessem para imaginar como nossa vida estaria daqui há 5 anos, confesso que não esperava ter hoje tudo que construímos – sempre digo que Deus tem muito mais pra gente do que nós imaginamos – não fazia ideia do que nos aguardava, por que na nossa cabeça teríamos uma vida razoável, cada um com seu trabalho, tendo o básico e podendo fazer uma viagem ou outra de vez em quando, mas não imaginávamos que o meu caminho no turismo iria tomar um rumo em que abriria a minha empresa e trabalharia bastante como trabalho – graças a Deus – e teria projetos novos, com meu sócio de Portugal, o Tiago – inclusive se você ainda não conhece o Giro pelo Mundo, clique aqui.

As dúvidas e as incertezas quando se vai para outro país são muitas, tudo é novo e é claro que dá medo, mas não podemos deixar o medo nos parar e não vou te enganar, você vai sentir saudades, muitas saudades. Mas se me perguntarem se vale a pena, eu digo: cada segundo.

 

4 comentários sobre “Quero sair do Brasil, chegou a hora de imigrar

  1. Queria fazer o mesmo sair do Brasil onde são poucas as oportunidades e a corrupção acaba com a nação e o povo brasileiro.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s